A DANÇA DAS AVES NOS CÉUS DA GALILÉIA




Na época de outono,  Israel vive o auge de migração de Aves. Ponto de encontro que reúne 500 milhões de animais no Lago do Hula, que passam em sua rota de fuga em busca de terras mais quentes no Sul.
Mas rodando pelas estradas da Galiléia, avistamos bandos de pássaros  voando no céu em sintonia, numa valsa linda e incrível de apreciar.

Israel, que fica na interseção entre África, Ásia e Europa, é uma espécie de "casa" para 260 espécies de Aves. Esse número chega a 540 espécies no período de migração - que também acontece, no sentido contrário, durante a primavera.
O país já é apontado como a meca dos ornitólogos e, segundo a revista BBC Wildlife, o 9º melhor lugar do mundo para tirar fotos de pássaros. 

 Esse grande número de espécies num país tão pequeno quanto Israel é um fenômeno maravilhoso. 
Israel fica no cerne da Fenda Sírio Africana - uma depressão geológica de 7,2 mil quilômetros, que se estende da Turquia até Moçambique, formando um corredor entre os hemisférios Norte e o Sul. Além disso, o país é dotado de pântanos e desertos separados por poucos quilômetros, o que agrada a Aves de diferentes origens: europeias, asiáticas e africanas. 
Segundo o professor Yossi Leshem, da Universidade de Tel Aviv, autoridade no estudo de aves em Israel e fundador do Centro Internacional para o estudo da Migração de pássaros de Latrun, nossa localização geográfica pode ser um desastre político, mas é um paraíso para os amantes de Aves.
O Lago do Hula é o ponto de encontro das Aves migratórias. É lá, entre as montanhas da Alta Galileia e das Colinas do Golã, que pelicanos, flamingos, corujas, estorninhos, cartaxos, garças, mergulhões, patos, falcões e outras 25 espécies de Aves de rapina sobrevoam a região e aterrissam como se estivessem pagando uma espécie de pedágio natural. Entre os pássaros mais raros estão espécies da Europa, como a águia-gritadeira, a águia-imperial- oriental e o bútio-rabo-canela. Aves locais, como o francolim negro e o cormorão, também dão as caras nessa festa ornitológica Começou no último domingo o segundo Festival Internacional do Pássaro do Vale do Hula, que termina dia 18. 


A rota de uma das mais importantes migrações de Aves do planeta é sempre a mesma. 

As Aves percorrem milhares de quilômetros e, sem erro, optam por descansar e buscar comida em pontos específicos de Israel, como o Monte Carmelo (Norte), as montanhas no entorno de Jerusalém (Centro) e o deserto do Negev (Sul). Os pássaros voam em bandos, levados apenas pelo instinto que guia gerações anteriores há centenas de milhares de anos. A migração acontece em geral à noite. As Aves voam usando o reservatório de gordura que acumularam nos corpos nos meses que antecedem o outono. Justamente por isso é que, antes de chegarem ao destino final, sempre param para se "reabastecer". 

Além dos pássaros, milhões de borboletas também colorem os céus de Israel em migração em destino ao Sul. Uma das espécies é a monarca africana, que tem frequentado o Lago do Hula nos últimos anos graças a um recente reflorestamento no local. 
Um espetáculo sensacional de ver.

Comentários

Postagens mais visitadas