MONASTÉRIO DE SANTA CATARINA,EGITO

Estávamos hospedados em Wadi El Raha, no Vale de Santa Catarina, no Egito.
Um lugar especial que merece ser conhecido por suas características especiais.





Depois de passarmos uma noite no Vale de Santa Catarina, fomos pela manhã conhecer o  Mosteiro de Santa Catarina  que é um dos mais antigos mosteiros do mundo.
Foi construído em uma região no Sul de Sinai, conhecida também como o Monte Sinai. Desde os primeiros séculos do Cristianismo no Egito, o Sul de Sinai desempenhava um papel importantíssimo quanto às atividades de ascetismo e monasticismo, graças às características geológicas e geográficas da região.
O sul de Sinai era sempre de grande atração para os monges Cristãos devido ao valor sagrado do Monte Sinai e a história de Moisés, e por causa da existência de montanhas altas de natureza solene, serena e isolada.
O monasticismo apareceu no Egito, primeiro por causa de condições políticas e religiosas,  e foi de verdade um método pacífico para resistir à violência dogmática dos romanos a partir do século IV d.C.
Quando os romanos eram pagãos e não reconheciam o Cristianismo , e quando os romanos eram Católicos, enquanto os Egípcios eram Coptas Ortodoxos, muitos monges apelavam ao sul do Sinai como um lugar seguro e sagrado, fugindo das perseguições dos romanos, e preferiam o Vale de Firan, El Tur, o Monte de Moises, e outros lugares que ficam perto de recursos de água.
Por que Catarina??
Catarina era uma bela jovem que vivia em Alexandria durante a era da perseguição romana contra os cristãos.
Naquela época em que reinava o imperador Maximiano ( 305-313 d.C) Santa Catarina converteu-se ao Cristianismo, rejeitou casar-se com os nobres pagãos que pediram a sua mão.
Quando os romanos descobriram a sua conversão ao cristianismo, torturaram-na horrivelmente, mas ela não abandonou a nova fé e por isso foi decapitada em 307 d. C. sendo considerada uma mártir de grande santidade.
Cinco séculos depois da sua morte pelos romanos, um monge teve uma visão, em que o corpo de santa Catarina foi carregado pelos anjos e o puseram no pico do Monte Sinai, por isso os monges transferiram as relíquias de Santa Catarina de Alexandria à igreja que foi construída anteriormente na região, conhecida como a Igreja da Transfiguração, localizada ao pé do monte de Moisés.
O mosteiro que antigamente foi conhecido como o Mosteiro da Virgem Maria, a partir desse momento teve seu nome  convertido ao atual nome de “Santa Catarina”.
 Em 342 d.C a imperatriz Helena, mãe do imperador Constantino o Grande concedeu a autorização a uns monges para construírem um convento que inclui uma capela dedicada à Virgem Maria, ao pé do monte de Moisés.
No século VI o imperador bizantino Justiniano mandou construir uma igreja conhecida como a Igreja de Transfiguração, mas isso, depois da dita ilusão do monge que disse que os anjos carregaram o cadáver da mártir e colocaram no pico do Monte Sinai. Ambas as igrejas da Virgem Maria e a Transfiguração adotaram o nome Santa Catarina. Também os documentos mencionam que o imperador bizantino Justiniano forneceu ao mosteiro 200 soldados para defender o mosteiro contra os ataques dos nômades da região.
O mosteiro se localiza embaixo do monte de Moisés, numa região caraterizada pela paisagem linda perto de recursos de água.
No lado este do mosteiro se encontra um vale conhecido como Wadi Al Raha que significa “Vale do Repouso”.
Acredita-se que os Israelitas descansaram neste vale depois do castigo de 40 anos perdidos entre as montanhas, porque desobedeceram a ordem de Deus.
O mosteiro tem uma forma retangular, similar a uma fortaleza com uma muralha gigantesca. O mosteiro foi construído sobre um local elevado de 1570 m. sobre o nível *do mar. -
A muralha é construída de pedra de granito, com torres espalhadas nos cantos, atingindo entre 12 a 15 m. de altura, quase 118 m. de comprimentos e 77 m. de  largura. A entrada original do mosteiro, localizada no lado oeste da muralha, está bloqueada e no lado oeste dela se encontra a entrada atual que foi feita em 1801 pelos franceses durante a Expedição Francesa ao Egito.
Os mais importantes elementos do mosteiro são: A Igreja de Santa Catarina, a Mesquita Fatima, a Biblioteca, os poços, a prensa de azeite, dois moinhos, celeiros, as Celas dos monges, Casa dos hóspedes.
O Mosteiro possui uns poços artesianos em diferentes localidades para prover o santo lugar de águas, o mais importante é o Poço de Moisés situado ao norte da Igreja de Santa Catarina, o Poço do Arbusto Queimado, o Poço de santo Estevão ao sul da Igreja principal.
Dentro do recinto se encontra um edifício pequeno que foi construído em 1863 durante o reinado do governador do Egito Ismael Pasha, dedicado ao alojamento dos visitantes do mosteiro. Em frente da Igreja de Santa Catarina se encontra um jardim que inclui um cemitério para os monges. Perto dele existe a Casa dos Crânios, ou seja, um ossário, pois os monges estão acostumados a enterrar o cadáver do colega falecido no cemitério, deixando o corpo por certo período num  túmulo, logo apanham os ossos do defunto, reservando-os no ossário, ou seja, Casa dos Crânios.
Quando fomos para lá, era um dia lindo de sol. O ônibus nos deixou no começo do caminho ao Mosteiro. 
A subida por este caminho é controlada pela polícia local. 
Lá existem várias lojinhas, vendendo objetos muito baratos e muitas crianças muito pobres, moradores da região, que aproveitam os turistas para fazerem algum dinheiro.

O local é encantador e é mais um dos passeios marcantes que fizemos.

















































RECENTE

AEROPORTO BEN GURION

Chegadas e partidas no aeroporto mais cobiçado do mundo... Aeroporto Internacional Ben Gurion. Um amálgama de emoções, ansiedades, trist...

Viaje pelas postagens...