E agora....As pirâmides do Egito


AS PIRÂMIDES DO EGITO

E começamos o primeiro passeio... as pirâmides do Egito.
.A aventura começou como um sonho 
 ...Uma coisa é vê-las por foto e em cartões postais 
Outra coisa é estar diante daqueles gigantes e ver o tamanho daquelas construções imensas de perto
!!!!Chega a tirar o fôlego
Nem acreditei que eu estava na frente das famosas Pirâmides do Egito!!!!

E vamos a um pouco de história para entendê-las melhor...
As pirâmides são túmulos construídos em pedra para abrigar os corpos dos reis do Egito Antigo, os famosos faraós. 
Suas dimensões representam a importância e o poder do Faraó na sociedade.
Existem 123 pirâmides conhecidas, mas as 3 principais abrigam os corpos dos reis Queóps, Quéfren e Miquerinos, na península de Gizé, exatamente onde eu estava.
Este conjunto arquitetônico é guardado pela Esfinge de Gizé, com um corpo de Leão e a cabeça de um faraó.
Os egípcios acreditavam que os faraós viveriam para sempre e, por isso seus corpos eram preservados num processo denominado mumificação.
Esse formato das pirâmides é um mistério por conta dos poucos recursos tecnológicos da época. Como conseguiram construir essas enormidades tão perfeitas?
Mesmo assim foram projetadas para preservar os corpos dos faraós e seus pertences.
Os estudiosos egípcios escolheram a forma de pirâmide para representar o raio do Sol - Rá era o deus mais poderoso da religião egípcia. A forma de pirâmide, na avaliação dos cientistas do Egito, permitiria a ascensão ao céu do faraó.

Quais seriam os seus segredos????

As pirâmides foram construídas em um período em que o Egito abrigava uma civilização rica e poderosa. Sua edificação começou no Antigo Império e perdurou até o século IV d.C, porém o pico das construções é registrado entre a Terceira Dinastia e a Sexta Dinastia, 2325 a.C.
Nesse período, o Egito vivia sob estabilidade e prosperidade econômica e os faraós acreditavam ser uma espécie de divindade escolhida para serem mediadores entre deuses e humanos.
Após a morte física, os egípcios acreditavam que o espírito do rei, que era conhecido como Ka, permanecia no corpo e necessitava de cuidados especiais.
No processo de preservação do corpo, a mumificação, o rei era circundado com tudo o que necessitaria após a morte, seus órgãos, seus tesouros, alimentos e, até, móveis. Familiares, sacerdotes e funcionários também eram sepultados junto ao faraó.

Como era o processo de mumificação?

O processo era realizado por especialistas em mumificação e seguia as seguintes etapas:
1º - O cadáver era aberto na região do abdômen e retirava-se as víceras (fígado, coração, rins, intestinos, estômago, etc. O coração e outros órgãos eram colocados em recipientes a parte. O cérebro também era extraído. Para tanto, aplicava-se uma espécie de ácido pelas narinas, esperando o cérebro derreter. Após o derretimento, retirava-se pelos mesmos orifícios os pedaços de cérebro com uma espátula de metal.
2º - O corpo era colocado em um recipiente com natrão (espécie de sal) para desidratar e também matar bactérias.
3º - Após desidratado, enchia-se o corpo com serragem. Aplicava-se também alguns “perfumes” e outras substâncias para conservar o corpo. Textos sagrados eram colocados dentro do corpo.
4º - O corpo era envolvido em faixas de linho branco, sendo que amuletos eram colocados entre estas faixas. 

Após a múmia estar finalizada, era colocada dentro de um sarcófago, que seria levado à pirâmide para ser protegido e conservado. O processo era tão eficiente que, muitas múmias, ficaram bem preservadas até os dias de hoje. Elas servem como importantes fontes de estudos para egiptólogos. Com o avanço dos testes químicos, hoje é possível identificar a causa da morte de faraós, doenças contraídas e, em muitos casos, até o que eles comiam. 
Graças ao processo de mumificação, os egípcios avançaram muito em algumas áreas científicas. Ao abrir os corpos, aprenderam muito sobre a anatomia humana. Em busca de substâncias para conservar os corpos, descobriram a ação de vários elementos químicos.


Até o início da Primeira Dinastia, 2950 a.C, as tumbas eram esculpidas em rocha e cobertas com estruturas denominadas "mastabas".

E o que é Mastaba???

 É um túmulo egípcio antigo de forma retangular com lados inclinados e um telhado plano de pé, a uma altura de 17-20 pés (5-6 m), consistindo de uma câmara funerária subterrânea com salas acima dela (ao nível do solo) onde se armazenavam oferendas.
Essas eram as precursoras das pirâmides.
A obra das pirâmides começou na Primeira Dinastia
O túmulo de Quéops é a maior pirâmide do mundo. Cada um dos lados dos pés tem 230 metros e sua altura é de 174 metros.
Três pequenas pirâmides foram construídas em alinhamento ao túmulo de Quéops e serviram para abrigar os corpos das rainhas. Há, ainda, uma tumba com o sarcófago da rainha Hetepheres, mãe de Quéops e outras pirâmides menores e mastabas para abrigar os corpos de funcionários do rei.
A pirâmide de Quéops é constituída por 2,3 milhões de blocos de pedra que pesam cera de 2,5 toneladas cada. O trabalho de construção teria durado 20 anos e contou com a força de 100 mil homens. Entre os operários usados como mão-de-obra estariam estrangeiros escravizados e camponeses egípcios que trabalhavam durante o regime de cheias do Nilo.
A segunda maior pirâmide na península de Gizé foi edificada para abrigar o corpo de Quéfren, com 143 metros de altura e, ao lado dela está a Esfinge. A estátua, a maior do mundo antigo, mede 200 metros de comprimento e 74 de altura.
Já a menor de todas as pirâmides foi construída para o corpo de Miquerinos, que reinou entre 2532 e 2503 a.C. Tem 65 metros de altura e uma base de 105 metros. As proporções menores da pirâmide de Miquerinos influenciam as demais construções de túmulos.
À medida em que o poder e a riqueza dos reis do Egito diminuíam, o ritmo das construções caiu. Ao longo da quinta e sexta dinastias, as edificações eram menores, mas também há outra forma de manifestação dentro dos túmulos.
A Esfinge guarda as pirâmides na Península de Gizé.

Como foram construídas as Pirâmides?

A construção das pirâmides está entre os maiores mistérios da engenharia, mesmo atualmente. Ao fim de 2014, cientistas norte-americanos apresentaram a última das teorias aceitas e que implicaria o uso de água para mover os blocos de pedra que seriam usados nas obras.
A teoria surgiu a partir da observação de imagens de uma pessoa jogando água à frente do que seria um trenó onde estava assentada uma pedra puxada por pelo menos 150 trabalhadores. Estudiosos entendiam que a imagem retratava um ritual religioso, mas os cientistas dos EUA reproduziram o ato e perceberam que a areia tinha o atrito reduzido com quando a água era jogada e o trenó deslizava com mais facilidade.
 Não eram somente os familiares e serviçais do rei que queriam compartilhar de sua glória na morte. É o que  demonstram as pesquisas sobre a importância espiritual da Península de Gizé.
Em 2010, pesquisadores descobriram que o povo também tencionava ficar próximo ao rei a partir do levantamento de uma vala com 400 corpos de pessoas desnutridas.
Era gente do povo que queria ficar próxima a rei e, por isso, também foram sepultadas com seus pertences pessoais.
Por causa desse tamanho enorme de construção a expressão "obra faraônica".
O conjunto arquitetônico na Península de Gizé ainda é um dos mais significativos do mundo. A pirâmide de Quéops, por exemplo, foi o prédio mais alto do Planeta até o século 14, quando foi construída a Catedral de Lincoln, na Inglaterra.
Só posso te dizer que estar lá, tocar nelas é algo indescritível.
A única coisa desagradável que senti, foi a quantidade de árabes querendo vender coisas e fotografar para fazer dinheiro. Chegam a ser desagradáveis pela insistência.
São um povo muito pobre e isso é triste demais.

Mas tristezas a parte... a viagem continua ....


















































RECENTE

AEROPORTO BEN GURION

Chegadas e partidas no aeroporto mais cobiçado do mundo... Aeroporto Internacional Ben Gurion. Um amálgama de emoções, ansiedades, trist...

Viaje pelas postagens...