Dia de Jerusalém- prá sempre nossa Jerusalém!!!!

by - junho 05, 2016

Dia de Jerusalém (Yom Yerushalayim) 

Iom Yerushalaim, dia de Jerusalém, comemora a reunificação de Jerusalém em 1967. 
E claro, merece ser muito comemorado!!!!
E aqui resolvi homenagear esta cidade tão encantadora, com esta matéria, para todos saberem um pouco mais de nossa história e também poder viajar um pouco pelas fotos que tirei em passeios que fiz por lá.
 Aqueles que visitam Jerusalém não podem deixar de ficar  fascinados pelo esplendor das paisagens, a extravagância do seu povo, a variedade de aromas, cores e sons que revelam o mosaico cultural que faz a cidade. 
Uma cidade linda cheia de contrastes com toques altamente exóticos e muito interessantes.
Uma viagem na história e no caminho de sofrimento de muitos na defesa de seu povo e de seu território.
Cidade de contradições, espiritualidade e stress diário. Cidade que detém a "paz" em seu nome e conflito na sua geografia. Cidade em que o presente e modernidade são reeditados no dia de ontem, um ontem que se estende por 3.000 anos de história. Hoje,  "Dia de Jerusalém , "  05 de junho de Iyar -23 no calendário hebraico.




Um pouco de história
Jerusalém (em hebraico: ירושלים, Yerushaláyim), localizada num planalto nas montanhas da Judéia entre o mar mediterrâneo e o mar Morto, é uma das cidades mais antigas do mundo.
 É considerada sagrada pelas três principais religiões abraâmicas - o judaísmo, cristianismo e islamismo. 
Durante a sua longa história, Jerusalém foi destruída pelo menos duas vezes, sitiada 23 vezes, atacada 52 vezes e capturada e recapturada outras 44 vezes.
O livro anual de estatística de Jerusalém listou 1.204 sinagogas, 158 igrejas e 73 mesquitas dentro da cidade.
No ano 1003 aC Rei Davi, o segundo dos reis de Israel, conquistou Jerusalém e fez dela a capital do seu reino e o centro religioso do povo judeu. 


Cerca de quarenta anos mais tarde, seu filho Salomão, o terceiro rei de Israel, construiu o Templo e transformou a cidade em próspera capital de um império que se estendia do Eufrates ao Egito. 


Em 586 aC, o rei babilônico Nabucodonosor destruiu a cidade e o Templo, levando o povo judeu para o exílio. 

Cinquenta anos mais tarde, quando a Babilônia foi conquistada pelos persas, o rei Ciro permitiu que os judeus voltassem para sua terra natal e concedeu-lhes autonomia. 
Eles construíram um segundo templo no mesmo lugar onde tinha sido o primeiro, e reconstruíram a cidade e as suas paredes. 
Mais tarde, em 332 aC, Jerusalém foi conquistada por Alexandre o Grande. Após sua morte, a cidade foi governada pelos Ptolomeus no Egito, em seguida, pelos selêucidas da Síria.
A Helenização da cidade atingiu o seu clímax durante o regime selêucida Antíoco IV.
 A profanação do Templo, tenta suprimir a identidade religiosa judaica e provoca uma rebelião. 
Liderados por Judas Macabeu, os judeus derrotaram os selêucidas, retomaram  o Templo (164 aC) e foi re - estabelecida independência judaica sob a dinastia dos Hasmoneus, que durou mais de cem anos, até que Pompeu impôs o domínio romano sobre Jerusalém.
Rei Herodes, que foi imposto pelos romanos como governante da Judéia (374 aC), estabeleceu instituições culturais em Jerusalém, construindo 16 magníficos edifícios públicos e reconstruiu o templo dando grande esplendor.
 Após a morte de Herodes, o domínio romano tornou-se um governo altamente opressivo que levou a um novo surto de rebelião judaica (ano 66). 
Por alguns anos Jerusalém esteve livre do domínio estrangeiro, até que, em 70, legiões romanas de Tito conquistaram a cidade e destruíram o templo. A independência judaica foi restaurada durante a revolta de Bar Kochba, mas por um breve período (132-135), derrotando os romanos novamente. Sob o domínio desse império, a cidade foi renomeada Aelia Capitolina e reconstruída de acordo com os padrões de uma cidade romana. Eles também  proibiram os judeus de entrarem  na cidade. Jerusalém era uma pequena cidade provinciana.
 Isso mudou radicalmente quando o imperador bizantino Constantino tornou-se um centro de Christian. A Igreja do Santo Sepulcro (335) foi o primeiro de uma série de grandes edifícios que foram construídos na cidade. Em 634, os muçulmanos invadiram o país e quatro anos mais tarde califa Omar conquistou Jerusalém. Durante o reinado de Abd al-Malik, que construiu o Domo da Rocha (691), Jerusalém tornou-se, por um curto período, a sede de um califa.
 Os cruzados conquistaram-na em 1099, massacraram seus habitantes muçulmanos e judeus e estabeleceu-se nesta cidade a capital do seu reino. 
Sob o domínio dos cruzados, sinagogas foram destruídas, velhas igrejas foram reconstruídas e muitas mesquitas foram transformadas em igrejas cristãs. 
Em 1187, a cidade foi conquistada por Saladino, o curdo. Os mamelucos, uma aristocracia feudal militar do Egito, governou Jerusalém, desde 1250. Eles construíram vários edifícios, mas tentaram fazer de Jerusalém um centro teológico muçulmano, minando a sua economia com pesados ​​impostos. Os turcos otomanos, cujo domínio durou quatro séculos, conquistaram Jerusalém em 1517.
Suleiman, o Magnífico reconstruído os muros da cidade (1537), ele construiu a piscina do sultão e instalou fontes públicas de água potável. Após sua morte, as autoridades centrais de Constantinopla expressaram pouco interesse por Jerusalém, de modo que durante os séculos XVII e XVIII, a cidade atingiu os seus declínios mais profundos. 
Jerusalém começou a florescer novamente na segunda metade do século XIX. O crescente número de judeus que retornaram à sua terra, o declínio do poder otomano e o interesse europeu de revitalizar a Terra Santa, levou ao desenvolvimento e renovação da cidade. 
O exército britânico sob o general Allenby conquistou Jerusalém em 1917.
Entre 1922 e 1948 foi a sede administrativa das autoridades britânicas na Terra de Israel (Palestina), que foi confiada à Grã-Bretanha pela Liga das Nações. A cidade desenvolveu-se rapidamente, crescendo para o oeste no que ficou conhecido como o "New City". 
No fim do Mandato Britânico em 14 de maio de 1948, e de acordo com a resolução das Nações Unidas em 29  novembro de 1947, Israel estabeleceu a sua independência, com Jerusalém como sua capital. 
Opondo-se a sua criação, os países árabes atacaram o novo estado, iniciando em 1948-1949  a Guerra da Independência. 
As linhas de armistício, atraídos pelo o fim da guerra, dividiu Jerusalém em duas partes:
O setor ocidental que estava nas mãos de Israel, enquanto o leste (Cidade Velha) e algumas áreas do norte e sul, nas mãos da Jordânia. 
O governo da Jordânia proibiu israelenses de terem acesso ao Muro das Lamentações e ao Templo do Monte. 
Em junho de 1967, após a Guerra dos Seis Dias, Jerusalém foi reunificada. O Bairro Judeu, na Cidade Velha, que foi destruído sob o governo jordaniano, foi restaurado. 


Desde então, todos os cidadãos israelenses podem visitar seus lugares sagrados. 
E viva Jerusalém!!! Ela é nossa e para  sempre será!!!!
Deleite-se nas fotos e viaje comigo mais uma vez!!!!








































You May Also Like

0 comentários

Follow by Email

JÁ FALEI POR AQUI

[agua- viva ABRIGO ADEGA aeroporto agência de turismo Agentes de Viagem AGRICULTURA ÁGUA AHAVA AJUDA ALEGRIA ALEGRIAS ALERTA ALIÁ ALIMENTAÇÃO aluguel AMOR ANIMAIS ANO NOVO JUDAICO ansiedade ANTIGO Antiguidade AQUECEDORES ÁRABES ARQUEOLOGIA ARQUITETURA ARTE ARTESÃO Árvore da vida ÁRVORES ASSISTÊNCIA ATIVIDADE ATROCIDADES AUDÁCIA AVENTURA avião AVIÕES ÁZIMO BANDEIRA DE ISRAEL BARCO BEDUÍNOS BEER SHEVA BELEZA belezas naturais Bíblia BNEI BRAK bom retiro BOMBAS BORDEU BUNKER CABALA cabanas Cachorros Cairo CALCÁRIO CALOR CAMINHADA CAMPANHA CAMPOS CÂNCER cannabis CANTORIA caravanas CARNAVAL CAVERNA cavernas CEGOS chamsa CHEF CHEIROS CHUVA Cidades israelenses CIÊNCIA cinema CLIMA comemoração COMIDA COMIDAS COMPUTAÇÃO comunistas CONFLITO CONSCIÊNCIA CONSTRUÇÃO CONTRIBUIÇÃO CORAÇÃO CORAGEM CORRENTEZA COSMÉTICOS COSTUMES CRAINÇAS Cratera CREMES CRENÇA CRIANÇA CRIANÇAS CRIATIVIDADE CRISTÃOS CUIDADO CUIDADOS culinária CULTURA CURA CURIOSIDADE CURIOSIDADES Custo de vida DATAS DEFESA DEFICIÊNCIA DESCOBERTA DESCOBERTAS DESENVOLVIMENTO DESERTO DESESPERO DETERMINAÇÃO DEUS devotos DIA DIA DIÁSPORA DISCIPLINA discriminação DISTRAÇÃO diversão DOCES doenças doutorado economia EDUCAÇÃO Egito ELEIÇÕES ELETRICIDADE emergência EMPRÉSTIMO DE EQUIPAMENTOS. EMUNÁ ENERGIA ERETZ ESCULTURA ESCULTURAS. Esfinge ESPAÇO CULTURAL ESPECIARIAS ESPERANÇA ESPÍRITO ESTAÇÃO ESTALAGMITES ESTILO DE VIDA ESTRADA ESTRADAS ESTRESS evangélicos Excursão EXERCITO EXÉRCITO EXODUS EXPLOSÃO EXPLOSÕES EXPOSIÇÃO Falafel FAMÍLIA FANTASIA FEIRA FENÔMENO FÉRIAS FESTAS FESTAS JUDAICAS FLORES FOGUETES FOLCLORE FOOTING FORÇA FORÇA DE DEFESA DE ISRAEL Frutas FRUTOS GALERIA GALILÉIA GARRA GASTRONOMIA GAZA GENTE Golda Meir gourmet gps GRUPO GUERRA Guerra do Yom Kipur Guia turístico HAIFA HAMAS HAMSIM HATZERIM HEBRAICO HELICÓPTERO HESBOLAH HIDROTERAPIA HINO HISTÓRIA histórias Holocausto Holyland HOMENAGEM HORÁRIOS DE VIAGEM HOTEL humanidade Humus idade avançada IDADE MADURA IDF IDOSOS IGREJA INDEPENDÊNCIA INQUISIÇÃO INSTRUMENTOS MUSICAIS INTELIGÊNCIA internet INVASÃO INVENÇÕES IRON DOME IRRIGAÇÃO ISRAEL Israel. segurança ISRAEL. TURISMO JARDINAGEM Jardins jejum JERUSALÉM Jordânia JUDAICA JUDAISMO JUDAÍSMO JUDEU judeus JUSTIÇA KIBUTZ KIBUTZ DAFNA kipá KOTEL LÁGRIMAS LAZER LEMBRANÇA lenços na cabeça LIBERDADE LÍNGUA PORTUGUÊSA LÍNGUAS LITURGIA LOJAS maconha MAGNETISMO MANIFESTAÇÃO Manuscritos mão de Deus mao de Fátima MAQUETES MAR MAR MEDITERRÂNEO MAR MORTO Maral tours MARINA MARINHA MATZÁ medicina MEDITERRÂNEO MEDO medusa MEMÓRIAS MERCADO MERCADO ÁRABE MERCADO DE PULGAS milagres MIMUNA MÍSSEIS MÍSSIL MISTICISMO MODERNO MONTE CARMEL Monte Sinai MORADIA MORAR BEM MORTE MORTES MOSHAV SHA'AR ISHUV Mosteiro MUÇULMANOS MUDANÇA MULHER MULHERES MULTA MUNDO MUNDO MELHOR MURO DAS LAMENTAÇÕES MUSEU MÚSICA NAMAL. PORTO NAMORADOS NAPOLEÃO NATUREZA nazismo nazistas NORTE DE ISRAEL OBRA DE ARTE ODIO ONIBUS Operação Entebbe ORAÇÃO ORQUESTRA ORTODOXOS OSNEI HAMAN PAISAGEM PAIXÃO PALESTINA palestinos palntações PANICO PÃO Papiros Paris PARQUES PÁSCOA PASSEIO PASSEIOS passeios incríveis pastores PÁTRIA PAZ PECUÁRIA PEDESTRE PERIGO perseguição PERSISTÊNCIA pesquisa PESSACH PESSOAS PETRÓLEO PIRÂMIDES PISCINA PLANTAÇÕES PLANTAS POEIRA polêmica POLÍTICA PORTO TEL AVIV PRAGAS PRAIA praia de cachorros PRAZER PRECES PRESENTES PRIMAVERA PRODUÇÃO PRODUTOS PROFETA ELIAS PROJETOS promessa PROTEÇÃO pureza PURIM Qualidade de vida quatro espécies QUEIJO QUIMIOTERAPIA RAKEVET RAMAT GAN REABILITAÇÃO realização reféns REFLEXÃO RELIGIÃO RELIGIOSOS RESERVA NATURAL RESPEITO RESPIRAÇÃO RESTAURANTE RESTAURANTES REUNIÃO REZAS RIACHO RIO RIU FIUME ROMA RUA GOSTOSA RUAS SAL SANTO SEPULCRO saudade SAÚDE SCHUK SECA SEGULOT SEGURANÇA SENSAÇÃO SENTIMENTO SERES HUMANOS SFAT SFED SHABAT SHOPPING Significados SINAGOGA SINGLES SIONISMO SIRENES SOBREVIVENTES SOCIALISMO SOFRIMENTO SOLDADO SOLDADOS SOLDADOS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS SONHO SORVETERIA SOUVENIRS STARTUP SUBMARINO SUCESSO SUCOT sukot SUPERMERCADOS superstição SUSTENTABILIDADE TACHANÁ TAXI TECNOLOGIA TEL AVIV TELAVIV TEMPEROS TEMPÊROS TERRA SANTA TERRORISMO thc TORA TORÁ TORTURA TRABALHO EM ISRAEL TRACKERS TRADIÇÃO TRADIÇÕES Tragédia TRÂNSITO TRANSPORTE PÚBLICO tratamento TREINAMENTO TREM TRILHA tristeza TRISTEZAS TÚNEIS TURISMO turistas Tutancamon TZAVÁ UNIÃO VELAS VENTO VIAGEM viagens VIDA VIDAS VINHO VIOLÊNCIA VÍTIMAS VOLUNTARIADO VONTADE Yad vashem YAFFO yom kipur