Um lindo passeio por Mitzpe Ramon, Dimona e pelas estradas do sul de Israel

 Yom Haatzmaut, o dia de comemoração dos 68 anos da Independência do Estado de Israel, feriado em Israel, fiz um passeio para o sul de Israel.
 Já passeei por lá em outras ocasiões, e sempre que passo pelo deserto, fico encantada com a grandiosidade e a energia tão forte que existe nesse gigante beje e dourado.
É impressionante a imensidão e a belíssima paisagem com a qual nos deparamos por quilômetros e quilômetros sem cansar, pois apesar de parecer tudo igual, existem detalhes encantadores e mágicos.
Quanto mais você olha, mais você enxerga coisas que nem imagina. Encantador!!!!
Impressionante também é ver que conseguiram no meio do deserto levantar plantações  que provocam altos contrastes em sua paisagem.
 Simplesmente um milagre!!!!
Na medida em que  nos distanciamos do centro de Israel em direção ao sul, vamos percebendo cada vez menos verdes e cada vez mais aridez nas estradas.
 São belezas surpreendentes que valem a pena serem admiradas.
O objetivo  era fazer um bate e volta para Mitzpe Ramon.  E lá fomos nós!!!!





Um pouco de história para você saber...

Mitzpe Ramon (em hebraico : מִצְפֵּה רָמוֹן ) é uma cidade no Deserto do Neguev, no Sul de Israel.
O nome de Ramon vem do hebraico "Romai", que significa romanos e mitzpe significa mirante.
 Ela está situada  a uma altitude de 860 metros (2.800 pés) com vista para um cirque de erosão considerável, conhecido como a Cratera Ramon.
Mitzpe Ramon foi fundada em 1951 como um acampamento para os trabalhadores que construiam a estrada para Eilat.
Os primeiros residentes permanentes da cidade, imigrantes do norte da África e na Romênia, lá se estabeleceram nos anos 1960, tornando-se uma cidade em desenvolvimento no Neguev.
A Ramon Crater, cratera Ramon, conhecida  como um  makhtesh, tem 38 km de comprimento, 6 km de largura e 450 metros de profundidade. 
Peraí...O que é um makhtesh????
 É um acidente geográfico geológico considerado exclusivo do deserto do Neguev, em Israel e na Península do Sinai.
Mitzpe Ramon possui verões quentes e secos e invernos frios. 
Há moderados a fortes ventos durante todo o ano, causados pela sua localização acima da cratera, que fazem em Mitzpe Ramon se sentir muito mais frio do que realmente é. 
Apesar de estar bem quente, a gente não sente tanto, devido à brisa que percorre a cidade o tempo todo. 
No inverno tem queda de neve de vez em quando por lá, o que imagino que seja maravilhoso de ver.
Demorou mais de 40 anos ou mais para o rejuvenescimento deste povoado do Negev. Sua popularidade não é surpreendente, dada a grandiosidade impressionante da cratera, bem como os fabricantes de queijo artesanal nas proximidades, vinícolas boutique e locais históricos nas proximidades e em outras partes do deserto de Negev (como o do  antepassado Abraão e também do pai fundador David Ben-Gurion),  assim como uma cena artística próspera na própria cidade.
Prá gente que vem do centro de Israel, que moramos em cidades movimentadas e grandes, existe uma forte sensação de estarmos no meio do nada, especialmente quando sinais da estrada alertam os motoristas sobre a passagem de camelos. 
Mas no caso de Mitzpe e seus vizinhos na região de Ramat Hanegev, um elenco incomum de personagens tem impulsionado a área em um destino de destaque para turistas israelenses e turistas. 
O turismo faz a cidade estar mais movimentada o ano todo.
A cratera em si é cheia de fenômenos geológicos fascinantes, locais naturais e  antigos sítios históricos.
 A oeste da cidade tem uma fazenda de alpacas.
No meio da cidade a gente se depara com alguns bichos atravessando a rua, sem se importarem com nada. Cenas pitorescas de cidade pequena...
O crescente interesse pelo ecoturismo, Jeep de trekking, mountain byke e caminhadas, e com a melhora da estrada Rota 40, tem ajudado a economia da cidade, que recebe gente do mundo todo e israelenses também.
Mitzpe Ramon tem 6 hotéis, inclusive um de luxo e várias pousadas.
Lá por perto tem uma Vinícola de vinhos orgânicos que são servidos com queijos fabricados em fazendas vizinhas.
O Mitzpe Ramon Jazz Club hospeda conjuntos musicais no fim de semana. Nos dias de semana, funciona como uma escola de música.
 O Adama Dance Company é uma trupe com sede em Mitzpe Ramon. 
A empresa abriu um complexo na zona industrial que oferece aulas e workshops, estúdios e um local para desempenho de danças.  
Tem a Hadasa'ar, uma casa semi-cooperativa de café, mercearia orgânica e loja de presentes, um local que eu amei. Lembra um pouco de lugares da Vila Madalena de São Paulo.
E tem também a Faran, uma fábrica local que faz a composição de verduras e legumes orgânicos  com leite de cabra e sabonetes de leite de camelo, onde você pode fazer um passeio, enquanto as crianças passar algum tempo em sua sala de jogos com uma equipe especializada.
Tem também uma  escola de dança infantil em um de seus bairros.
A parte sul da cidade tem hotéis, pousadas, parques de campismo e uma pousada beduína.
 Na parte oriental tem passeios de jippe, bicicleta e camelo. Tem também um jardim zoológico que abriga animais do deserto local, incluindo cobras, lagartos e mamíferos.
O Active Hotel, um hotel voltado para os entusiastas da bicicleta e tem a Lasher, uma padaria que deve ser muito boa.
Um astrônomo amador, Machefsky, empacotou seus telescópios e foi para Mitzpe, onde agora orienta os visitantes em uma excursão dos céus chamada Astronomia Israel. 
Passeamos pela cidade e acabamos num parque onde soldados, beduínos, muçulmanos e religiosos faziam churrasco e pic nic, cada grupo em sua mesa ou em seu canto, numa convivência grupal amigável e divertida.
Algumas pessoas me falaram... o que você vai fazer em Mitzpe Ramon??? Lá não tem nada!!!
Olha... não me arrependo uma vírgula de ter ido.
Existe um contraste enorme entre Mitzpe e outras cidades maiores, mas cada uma tem seu encanto e seu atrativo. Depende muito do que se espera de cada lugar. O melhor é ir de coração aberto e saber apreciar cada detalhe, cada presente de Deus e da natureza. 
Amei ter conhecido esta cidade, onde vive uma amiga minha de infância e é muito feliz por lá.

Um dia memorável!!!
 Na volta passamos por Dimona, outra cidade do sul de Israel e seguimos de volta para casa apreciando a paisagem, passando por várias aldeias de beduínos perdidas no meio do deserto, plantações de girassóis e cactus e presenciando a mágica do por do sol, visto da estrada, terminando com a certeza de termos tido um dia maravilhoso, graças a Deus.

Viaje comigo pelas fotos...











































































































































































































































































Dimona...














 











































































RECENTE

FABRICA DE VELAS EM SFAT MARAL

Viaje pelas postagens...